terça-feira, 7 de julho de 2009

Quando chove intensamente e venta muito forte, até parece que estou fazendo algo errado, e isso me dá medo...



Não há vento forte
nem trevo de sorte
que dê jeito nessa situação.
Não há mentira pefeita
ladrão ou gente direita
que pare meu coração.

Um comentário:

comme des habitudes disse...

olá. gostei do seu poema. é bem introspectivo, bem íntimo. desculpa a invasao. achei teu blog por acaso na net. o meu é sobre minha paixao por cultura e história do império. se tiver interesse pode me visitar e me seguir. abraçoss

leandro.